CADÊNCIA DA BATERIA

O maior encontro de bandeiras de Niterói

NA CADÊNCIA DA BATERIA

TUDO SOBRE OS CARNAVAIS DE NITERÓI, SÃO GONÇALO E RIO DE JANEIRO

SOUZA SOARES

Cris Alves é a estrela do título do Grupo de Acesso

SANTA ROSA É A NOVA CAPITAL DO CARNAVAL DE NITERÓI

As vizinhas Folia do Viradouro e Souza Soares campeãs dos grupos Principal e de Acesso

FOLIA DO VIRADOURO GRANDE CAMPEÃ DO CARNAVAL DE NITERÓI 2015

Escola de Santa Rosa obteve nota máxima de 19 dos 20 jurados

.

.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Já começou o carnaval 2016 em Niterói

Carnavalesco da Mocidade Independente de Icaraí, FLÁVIO NUNES, anunciou que permanece na escola do Morro do Cavalão no próximo carnaval. Flávio já tem uma proposta de enredo e promete emoção, ousadia e luxo.

Objetivo da agremiação é voltar ao Grupo Principal, onde conquistou cinco títulos, 1991, 2007, 2008, 2009 e 2010.

Vila contrata Alex de Souza

A diretoria da Unidos de Vila Isabel oficializa a contratação do carnavalesco Alex de Souza. Será a segunda passagem do artista pela azul e branca do bairro de Noel. A primeira aconteceu em 2010, quando a Vila apresentou um desfile sobre Noel Rosa e ficou com a quarta colocação. 

Dona Beta aposta no novo carnavalesco
(Foto: Natália Louise)

Elizabeth Aquino, a Dona Beta, presidente da agremiação, fez questão de agradecer ao carnavalesco Max Lopes e dar as boas vindas ao novo contratado. "Gostaria de deixar bem claro a minha admiração pelo homem e profissional Max Lopes. Com certeza um dos nomes mais importantes para a história do carnaval e que nos honrou muito participando conosco do último desfile. O Alex é um carnavalesco de alto nível e que já conhece a comunidade da Unidos de Vila Isabel. Temos certeza que ele será muito importante para alcançarmos as primeiras colocações em 2016 - afirmou Dona Beta.

Associação dos Diretores de Harmonia sai do papel.

Há algum tempo um grupo de amigos Diretores de Harmonia vem conversando sobre o quesito e as atividades de uma harmonia dentro das agremiações. Um quesito de grande relevância nos desfiles de carnaval, a harmonia é a forma como os integrantes da escola desfilam, considerando se há entrosamento ou não dos mesmos com o ritmo e o canto do samba de enredo, a harmonia é a responsável por toda a organização do desfile e esses diretores nem sempre tem o preparo e o amparo necessário.

Pensando nisso, esse grupo de diretores se reuniu e está sendo fundada a ASSOCIAÇÃO CULTURAL DOS DIRETOS DE HARMONIA DAS ESCOLAS DE SAMBA DO BRASIL – A.C.D.H.E.S.B, com o intuito de lutar pela categoria, formar novos Diretores, dar apoio social e cultural e até mesmo interceder em nome deles junto as agremiações.

“Vamos pregar a união e só com ela seremos fortes, a associação chega numa hora em que muitos estão desacreditados nos amores e nos trabalhos. Queremos fazer a resistência, somos um time só, no momento “estou” Presidente, mas todos tem a sua voz e a sua ideia para somar e fazermos cada vez mais pelo apito de ouro. A Harmonia precisa de união, amizade para termos respeito e sermos respeitados. Juntos somos mais fortes !” Cosme Marcio.

Em breve a nova entidade divulgará outras informações para associados, festa de lançamento, site, perfil nas redes sociais, sede, telefones de contato entre outros assuntos pertinentes.

ASSOCIAÇÃO CULTURAL DOS DIRETOS DE HARMONIA DAS ESCOLAS DE SAMBA DO BRASIL – A.C.D.H.E.S.B

Fundação: 09 de outubro de 2014. 

Presidente: Cosme Márcio Martins

Secretário: Fabricio da Cruz da Silva

Assessor de Imprensa: Alexander Soares (Foguinho de Vaz Lobo)

Relação dos Diretores Sócio Fundadores:

Cosme Márcio, Vitor Manoel, Antonio Carlos Costa, Gilberto da Silva, Luiz Carlos Ribeiro, Suelen Silva, Alex Ferreira, Denise Pinto, Andre Luiz Siqueira, Renata Cristina, Nelio Galvão, Fernando José, Mauro Jorge, Alexandre Dias, Claudinei Souza, Isabel Godoys, Flavio Moreira, Fabricio da Cruz, Wilson Nicola, Ivonete Cristina, Jose Carlos Faria, Joelson Lima, Marcos Alexandre, Darlan Ferreira, Leonardo de Souza, Leandro Germano, Alexandre Carlos, Carlos Eduardo da Silva, Domingos Chaves, Marcelo Chaves, Vitor Moreira, Paulo Henrique Afonso, Adriano Jesus, José Francisco, Paulo Cesar Dionisio, João David de Andrade, Pedro Henrique Soares e Gabriel Renan.

O primeiro e mais importante passo já foi dado, agora é harmonizar !

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Paulo Barros deixa Mocidade

A Mocidade Independente de Padre Miguel confirmou na tarde desta terça-feira, 24 de fevereiro, a saída do carnavalesco Paulo Barros. A decisão foi tomada pelo profissional e comunicada ao presidente de honra de agremiação, Rogério Andrade, na manhã do mesmo dia.

Carnavalesco vai para a Portela 
(foto: Diego Mendes)

A Mocidade lamentou a postura adotada pelo profissional em nota à imprensa:

"Na semana passada, logo após a apuração, Paulo Barros foi à quadra da Mocidade e, emocionado, discursou para milhares de pessoas. Revelou que se sentia muito bem na escola e que gostaria de retribuir a recepção da diretoria e comunidade com um título. Afirmou também que ficaria, inclusive em entrevistas concedidas durante o evento! O mesmo teor foi adotado durante as conversas mantidas com a diretoria da agremiação na última semana.

Desde a contratação do profissional até a realização do desfile, a Mocidade Independente de Padre Miguel investiu pesado, apoiou e ofereceu toda as condições possíveis para a realização de um grande trabalho. A agremiação acreditou em todas as ideias do artista, inclusive as que influenciavam diretamente em outros quesitos. Mesmo não vendo a imensa expectativa ser correspondida a altura em alguns pontos do desfile, pretendíamos apostar na continuidade e na maior adaptação do artista à Mocidade Independente de Padre Miguel.

Aos torcedores, deixamos claro que a nossa agremiação continuará trilhando o caminho da reestruturação e objetivando recolocar a Mocidade no lugar mais alto do pódio. Por nossa escola já passaram carnavalescos consagrados como Arlindo Rodrigues, Fernando Pinto e Renato Lage. Continuamos contando com o que temos de mais valioso: a força da nossa comunidade e a gloriosa história que carrega o nosso pavilhão!"

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Imperatriz renova com Cahê Rodrigues e Júnior Escafura

O carnavalesco Cahê Rodrigues renovou contrato com a Imperatriz Leopoldinense para o carnaval 2016. Os detalhes para a permanência do artista foram acertados com o presidente da agremiação Luiz Pacheco Drumond após reunião no barracão nesta segunda-feira (23). O diretor geral de Harmonia Júnior Escafura também participou da reunião e teve o seu contrato renovado e seguirá no comando do quesito para o carnaval 2016.

O enredo “Axé Nkenda – um ritual de liberdade. E que a voz da Igualdade seja sempre a nossa voz” foi o terceiro desfile assinado pelo carnavalesco que chegou na Imperatriz Leopoldinense em 2013. Na estreia ele dividiu os trabalhos que exaltava o estado do Pará com os cenógrafos Mário e Kaká Monteiro. Em 2014 Cahê assinou sozinho o desfile que homenageou o ex-jogador Zico, alcançando a 5 ª colocação.

Em 2015 a Imperatriz ficou em 6º lugar após um desfile empolgante e bastante elogiado pelo público e crítica.


segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Tijuca comunica desligamento do diretor de harmonia

A Unidos da Tijuca comunicou que o seu Diretor de Harmonia, Paulo César Dionísio, não ocupa mais o cargo. Segundo a nota enviada à imprensa, Paulinho Haiti, como é mais conhecido, também é militar e conseguiu uma promoção e servirá, pelo período mínimo de um ano, em outro país. 

O Paulinho merece todo o nosso respeito e amizade. As portas da agremiação estão abertas para quando ele voltar”, afirmou o Presidente da Unidos da Tijuca, Fernando Horta.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Samba niteroiense tem nova capital: Santa Rosa.

Se no ano passado o Fonseca vibrou com as vitórias de Sabiá pelo grupo principal e Alegria da Zona Norte no grupo de acesso, em 2015 foi a vez do bairro de Santa Rosa parar para comemorar as vitórias de Folia do Viradouro e Souza Soares. Por pouco o bairro não fez também a campeã do Grupo Especial de Enredo (correspondente ao terceiro grupo de escolas), já que a Garra de Ouro, da Garganta do Viradouro, ficou com o segundo lugar. O resultado do Carnaval de Niterói em 2015 foi conhecido na última quinta-feira, 19 de fevereiro na quadra do Unidos do Viradouro, diante de um público estimado em 3.000 pessoas.


A boa notícia anunciada pela Neltur, pouco antes do início da apuração, foi a liberação de cartas de crédito em outubro para as escolas que apresentarem suas prestações de contas até março.

Grito engasgado

Por dois anos consecutivos a Folia do Viradouro amargou o vice-campeonato, ambos perdidos para a Sabiá. Em 2015 as posições se inverteram. A escola de Santa Rosa perdeu apenas meio ponto no quesito Enredo. Cada dez anunciado pelo locutor era comemorado por diretores e componentes da Folia como gols de seus times de coração, mostrando o otimismo pelo título. A Sabiá perdeu 3 pontos logo no segundo quesito anunciado, Comissão de Frente. Com duas notas 9 em Mestre Sala e Porta Bandeira a diferença cresceu o que só aumentava o entusiasmo da Folia. Outra candidata ao título apontada pela equipe da Cadência da Bateria após o desfile, o Império de Araribóia, também perdeu pontos preciosos nos quesitos Enredo, Conjunto e Harmonia. No começo da apuração a grande rival da Folia foi a Unidos da Região Oceânica, com notas máximas nos dois primeiros quesitos, Enredo e Comissão de Frente. Mas o 8 e o 9 em harmonia deixaram a escola apenas com o quinto lugar. A Magnólia Brasil foi quem ocupou o quarto lugar, mesma classificação do ano passado. Antes da apuração, dirigentes da Neltur e Uesbcn anunciaram que a escola de samba 'Tá Mole mas é Meu', licenciada neste carnaval, foi rebaixada para o Grupo de Acesso em 2016. Entretanto as entidades não informaram quantas escolas caem. Grupo dos 15, em sexto lugar, Alegria da Zona Norte em 7º e Cacique da São José, em 8º completaram a classificação do Grupo Principal.

Certeza de título e indefinição de notas no Grupo de Acesso

O favoritismo da Souza Soares no desfile de segunda-feira de carnaval foi concretizada na abertura dos envelopes. A certeza da vitória levou um grande número de torcedores à quadra da Viradouro. No comando da torcida a homenageada do enredo, Cris Alves. Em segundo lugar ficou o Experimenta da Ilha da Conceição e em terceiro o Unidos do Sacramento. Não foi informado pelos organizadores quantas escolas sobem. 

A Rainha Cris comandou a festa da Souza


A apuração do Grupo de Acesso foi a mais demorada da noite. O primeiro mapa de notas divulgado foi contestado pela Mocidade Independente de Icaraí, última colocada naquele momento. O presidente da agremiação, Mauro Ferreira, pediu nova contagem visto que o mapa oficial não coincidia com o registrado pela escola. Depois de algum tempo, um novo mapa foi apresentado. A Mocidade aparecia em quinto e o Balanço do Fonseca em último. Aí foi a vez do presidente Neguti reclamar. A reclamação também foi aceita e uma nova classificação foi divulgada após a apuração do Grupo Principal. Desta vez com o Galo de Ouro em último. O presidente da Independente do Boaçu também reclamou. A reclamação se baseava na perda de 1 ponto para cada integrante faltoso das rivais punidas. Diante da reclamação, foi lido por uma diretora da Uesbcn o tópico que esclareceu que o ponto perdido correspondia a não apresentação de contingente mínimo total e não para cada componente. Tudo esclarecido foi anunciado resultado final. Campeã Sousa Soares, em segundo Experimenta, depois Sacramento, Engenhoca, Mocidade de Icaraí, Balanço do Fonseca, Boaçu, Bafo do Tigre e Galo de Ouro. A licenciada 'Se Não Guenta porque Veio' foi rebaixada.

Quesito enredo dá vitória ao Combinado do Amor no 3º Grupo

A disputa por um lugar no Grupo de Acesso foi a mais acirrada do carnaval. Garra de Ouro e Combinado do Amor disputaram ponto a ponto o título. Após a leitura do último quesito houve um empate entre as escolas da Garganta do Viradouro e do Caramujo. No quesito Evolução, anunciado antes da apuração como desempate, a Combinado do Amor se saiu melhor com duas notas 10 contra um 9,5 e um 10 do Garra de Ouro. A chuva que caiu no domingo de carnaval prejudicou muito este grupo. As primeiras escolas a desfilar tiveram sérias dificuldades.

Joice Martins, a Rainha da Bateria, recebeu a taça do Combinado


CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO COMPLETA

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Santa Rosa. A nova capital do samba niteroiense

A Folia do Viradouro pelo Grupo Principal e a Souza Soares, no Grupo de Acesso foram as grandes campeãs do carnaval de Niterói. As vizinhas de bairro celebraram juntas a conquista nesta quinta-feira na quadra da Unidos do Viradouro. 'Tá Mole mas é Meu' e 'Se não Guenta porque veio', que pediram licença foram rebaixadas. A primeira caiu para o grupo de acesso e a segunda para o especial de enredo. A Neltur e a Uesbcn não informaram quantas caem e quantas sobem em cada grupo. 

Amanhã cobertura completa da apuração.

Confira a classificação completa:

Apuração dos desfiles de Niterói


Os campeões do carnaval de Niterói serão conhecidos hoje, a partir das 15h, na quadra do Unidos do Viradouro, no Barreto.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Sabiá, Império e Folia brigam pelo título da elite de Niterói

No último dia de desfiles em Niterói, cruzaram a passarela da Conceição as escolas de samba do Grupo Principal. As oito agremiações proporcionaram uma disputa equilibrada. A verba pública distribuída há pouco menos de duas semanas do carnaval prejudicou claramente as agremiações. O pouco tempo de preparação foi percebida principalmente nos quesitos plásticos. A qualidade das fantasias e alegorias foram inferiores ao ano passado. Não choveu durante os desfiles, mas o temporal que caiu no início da noite atrasou o início da apresentações.

Sabiá emocionou

A chuva mais intensa, foi registrada justamente no bairro do Fonseca, de onde vinham as duas primeiras escolas, a Alegria da Zona Norte e a Sabiá, causando muita ansiedade em seus componentes. A estreante no grupo e a atual venceram as dificuldades e desfilaram com empolgação. Plasticamente a Sabiá foi melhor. A escola da Vila Ipiranga é real candidata ao título. Destaque para a bateria de Mestre Glauco com várias paradinhas deixando os componentes cantarem. Já a Alegria se superou ao longo do desfile e fez uma apresentação bastante animada.


Império empolgou

Terceira escola da noite o Império de Araribóia entrou mais tranquilo, contando com a 'força da comunidade'. Já estava completamente armado quando a Sabiá ainda desfilava. As fantasias das alas deram volume ao desfile e seus componentes fizeram jus ao samba desfilando 'no canto e na raça'. Vai brigar pelo título.


Com a ausência do 'Tá Mole mas é Meu' que pediu licença à Uesbcn, a Região Oceânica foi a quarta escola a desfilar. Reforçada pelo diretor de carnaval Almir Júnior, campeão com a Sabiá em 2014 e com a Folia do Viradouro em 2012, os sambistas do Cafubá proporcionaram um bom desfile. Assim como a Sabiá e o Império, apresentou um tema afro, com destaque para o conjunto alegórico e para a bela apresentação do casal de mestre sala e porta bandeira Marcelo Borges e Pamela Christo.

Quinta escola da noite, o Cacique da São José, apresentou um enredo sobre as festas. Escola de raiz, desta vez seu componentes não cantaram tanto o samba. Destaque para a alegoria de Iemanjá. Não vai brigar pelo título.

Logo depois foi a vez de mais uma escola do Fonseca. A Magnólia Brasil apostou num enredo sobre o 'tempo', um tema leve que permitiu fácil leitura. Destaque para a bateria de mestre Perdido que tinha à frente a rainha Flávia Aguiar.

Passistas da Folia deram show

Em busca de mais um título de pois de dois vice-campeonatos, os componentes da Folia do Viradouro, entraram com muita determinação na avenida, mostrando que a escola de Santa Rosa é uma das forças da atual fase do carnaval niteroiense. Entre os destaques do desfile da escola, a ala de passistas comandada por Luiz Fernando Moreno.

Encerrando os desfiles oficiais apresentou-se o Grupo dos 15. Destaque para a bateria de Mestre Dudu que desta apresentou uma novidade. A evolução do naipe de tamborins em torno da Rainha Paola Lisboa. Antes do início do desfile, em seu discurso, o presidente Didinho enalteceu o trabalho de barracão e atelier da escola que produziram integralmente as fantasias e alegorias da escola planejadas pelo carnavalesco Alexandre Bar. "Temos que prestigiar a prata da casa da gente. Não é pegar fantasia de outra escola e desfilar. Pegar carro de outra escola e botar pra desfilar. Isso é fácil. Agora, fazer carnaval há dias do desfile, seja lá com que quantia for, eu quero ver quem faz. Mas carnaval decente, confeccionando suas fantasias. Nós vamos fazer um desfile digno, com samba no pé", desabafou o presidente Didinho.

De fato, a falta de planejamento dos organizadores do evento, influenciou diretamente na qualidade dos desfiles. Sem um calendário definido, não só para o pagamento de verbas, mas para a própria organização do evento, dificilmente o carnaval da cidade evoluirá. A própria rua da Conceição já está ultrapassada. Impossível manter a evolução da escola correta durante todo o percurso, visto que a Rua da Conceição possui diferentes larguras ao longo do trecho.

No caso específico de 2015, no trecho entre a Visconde Uruguai e a antiga prefeitura, não havia retorno de som. Condição inadmissível para desfiles de escolas de samba atuais.

Esperamos que as entidades que organizam os desfiles da cidade ouçam os sambistas, para entenderem seus anseios, e a partir daí organizarem o evento de acordo com nossa necessidade.


Apuração será nesta quinta-feira às 15h na quadra do Unidos do Viradouro.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Souza Soares com um pé no Grupo Principal

Após a passagem das nove agremiações do Grupo de Acesso nesta segunda-feira de carnaval, a Sousa Soares despontou como virtual campeã. O desfile que homenageou a Rainha Cris Alves foi arrebatador. Bom samba, boa bateria, fantasias e alegorias de excelente acabamento aliados ao carisma de Cris Alves, não deixaram dúvidas: a Souza estará na elite do carnaval niteroiense em 2016. As demais escolas apresentaram desfiles equilibrados.


Cris Alves brilhou no segundo dia de desfile na Rua da Conceição

Dessa vez a chuva deu uma trégua e a noite agradável proporcionou bons desfiles. O público compareceu em bom número, prestigiando o evento, mesmo com tão pouco conforto. É preciso repensar uma nova estrutura que atenda ao público. A nota triste da noite foi o falecimento de um integrante da bateria do Galo de Ouro. O ritmista passou mal na saída do recuo da bateria, foi atendido no posto médico da avenida, mas não resistiu.

Estreante no Grupo de Acesso, o Galo de Ouro abriu o desfile às 20h em ponto. Com um enredo que narrava a importância da preservação da natureza, a escola apresentou um início de desfile impactante, todo em preto, representando a criação do universo. As fantasias que passaram a seguir deram fácil leitura ao enredo. Porém o nervosismo habitual de uma abertura foi percebido. Próximo ao recuo, algumas alas precisaram correr para suprir o espaço deixado pela bateria. A exuberante Nathy Fernandes brilhou à frente da bateria. A bela apresentação, foi interrompida pelo incidente com o ritmista. "Eu estava muito feliz, evoluindo com ele, tocando cuíca quando caiu em cima de mim. Muito triste", lamentou Nathy.

Com atraso, em consequência do fechamento da pista para atendimento ao ritmista da Galo de Ouro, entrou na avenida o Unidos do Sacramento. Em seu discurso o presidente da agremiação Almir Brandão lamentou a ausência de muitos componentes. "O transtorno causado não foi pela nossa agremiação, tudo foi culpa dos bandidos que colocaram fogo no Caramujo impedindo a passagem dos ônibus da escola, mesmo assim vamos para dentro, a escola está bonita e viemos para ganhar o carnaval", disse Almir ao microfone. De fato a escola gonçalense estava bonita, mas poucos componentes cantavam o samba. Destaque para a bateria de Mestre Barrão.

Terceira escola da noite, a maior vencedora da revitalização, mas recém rebaixada, desfilou a Mocidade independente de Icaraí. Sempre aguerridos, os sambistas do morro do Cavalão fizeram um desfile de muita garra. Com um enredo em homenagem aos antigos carnavais foram lembradas as duas escolas mais antigas da cidade, a Sabiá e a Combinado do Amor, e as representantes da cidade no Rio de Janeiro, Cubango, Viradouro e Sossego. 


A 'iluminada' Danúbia, rainha da bateria da Mocidade.

Nos quesitos plásticos as três primeiras agremiações mantiveram o mesmo nível.

Num patamar acima, se apresentou a Souza Soares. Na quarta escola da noite sobraram destaques. A começar pela homenageada, Cris Alves. Esbanjando carisma, a atual Rainha da bateria do Cubango participou ativamente do desfile, interagindo com o público acompanhada de seu tamborim. Nos quesitos plásticos a Souza também deu show com fantasias e alegorias de bom acabamento. Enfim, um desfile pra ninguém botar defeito. Grande favorita ao título.

Com a responsabilidade de desfilar após a melhor apresentação da noite entrou na avenida o Balanço do Fonseca. Com enredo sobre as danças, os sambistas do Santo Cristo levaram vários ritmos para a avenida. Destaque para a batida funk da bateria de Mestre Neguti.

Logo depois foi a vez da Independente do Boaçu. Como de costume a escola gonçalense apresentou bom contingente e alegorias grandes. As fantasias deram boa leitura ao enredo "Que país é este", que abordava as mazelas do cotidiano brasileiro.

Sétima escola da noite o Bafo do Tigre teve um pequeno problema antes de iniciar seu desfile. Intérpretes da escola e técnicos do som da avenida discutiram. Tudo resolvido pela turma do 'deixa disso', os sambistas do Morro do Estado fizeram aquilo que mais sabem: 'Samba'. O desfile apresentou enredo afro com destaque para a comissão de frente e para o time de musas à frente da bateria.

O Experimenta da Ilha da Conceição, oitava a desfilar, apresentou grande contingente. Animados, seus componentes cantaram o samba com empolgação. O Experimenta fez uma viagem à civilizações através do zodíaco. O conjunto de fantasias foi o ponto forte do desfile.

A alegria do Experimenta

Já a União da Engenhoca encerrou o desfile de segunda-feira com uma bela homenagem aos 60 anos de fundação da Mocidade Independente de Padre Miguel. Vários integrantes da escola da Zona Oeste participaram do desfile ao som de um dos melhores sambas da noite, interpretado por Diego Nicolau.

Altos e baixos
Talvez esse tenha sido o mais disputado carnaval do grupo de acesso. Com exceção da Souza Soares, que fez um desfile arrebatador, as outras oito escolas vão brigar pelas melhores classificações ou pelo rebaixamento.
Pelo que observamos, a maioria das escolas desse grupo ainda precisa melhorar a qualidade das alegorias. O nível de acabamento dos carros ainda é insuficiente para quem tem pretensão de chegar à elite do carnaval.

Ouro ponto que dever ser trabalhado pelas escolas é a entrada no recuo da bateria. A maioria deixa abrir muito espaço para o restante das alas.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Niterói se prepara para mais uma noite de desfiles

Neste segunda-feira, a partir das 20h, desfilam pela passarela da Conceição, no Centro de Niterói, as escolas de samba do Grupo de Acesso.

Na manhã desta segunda-feira, várias agremiações já haviam posicionado suas alegorias na concentração da Amaral Peixoto

Nove agremiações disputam o direito de estarem na elite em 2016. 


1- Galo de Ouro
2- Unidos do Sacramento
3- Mocidade de Icaraí
4- Souza Soares
5- Balanço do Fonseca
6- Independente do Boaçu
7- Bafo do Tigre
8- Experimenta da Ilha da Conceição
9- União da Engenhoca

A Cadência da Bateria informa em tempo real, em nossa página no Facebook, o andament dos desfiles e o que de relevante acontece na avenida.

Confira em: https://www.facebook.com/nacadenciadabateria

E amanhã a análise completa de cada desfile.

NA CADÊNCIA DA BATERIA, HÁ NOVE ANOS
COBRINDO O CARNAVAL DE NITERÓI

Primeira noite de desfiles em Niterói decepciona. Garra e Combinado se destacam

Chuva, problemas técnicos, arquibancadas vazias, contingentes reduzidos, atrasos e falta de agremiações tiraram o brilho da festa. Às 18h em ponto, o pequeno cortejo conduzido pela Corte da folia e organizadores do evento, ao som de uma bandinha que tocava marchinhas, atravessou a passarela da Conceição. Em frente ao palanque oficial, o Rei Momo, acompanhado da Rainha e Princesa, recebeu as chaves da cidade das mãos do presidente da Neltur, Paulo Freitas, representando o prefeito. Uma solenidade tímida, incompatível com a grandeza do carnaval de Niterói.

Um dos destaques da noite, a bateria do Garra de Ouro, de verde e rosa, em homenagem ao mangueirense Heitor dos Prazeres

Dos três blocos de embalo previstos para desfilar, apenas o BC Toca do Leiteiro, da Engenhoca, se apresentou. O Tufão e o Guerreiros de Jorge, recém filiados à Uesbcn, não entraram na avenida. Os sambistas da Engenhoca ainda desfilavam quando uma forte chuva caiu sobre a rua da Conceição. Raios, trovoadas, e muito vento anunciavam uma noite nebulosa. As escolas deste grupo, que já têm suas limitações, este ano agravada com o atraso do pagamento das verbas públicas, tiveram seus problemas potencializados pela chuva. A cada discurso dos presidentes das escolas, os lamentos pelas dificuldades vividas durante o ano. Não só a chuva foi a vilã, reclamações sobre o poder público foram comuns na concentração.

E ainda, a ordem de desfile divulgada durante todo o ano, foi alterada momentos antes do desfile. A 'Amigos da Ciclovia', que seria a terceira agremiação a desfilar, abriu a noite. As duas primeiras, União do Maruí e Unidos do Barro Vermelho, encerraram a noite.

Segunda escola da noite, a Banda Batistão, homenageou o Rio Grande do Sul sob intensa chuva. No meio do desfile da escola do Barreto, ocorreu uma queda de energia e vários refletores da avenida se apagaram.

Na concentração, a Unidos do Castro tinha dificuldades para se armar.  Ao microfone, o presidente da escola, Gil, lamentou a forte chuva que dificultou a chegada de muitos componentes oriundos de São Gonçalo, onde a chuva fez muitos estragos.

Chuva atrapalhou mas não desanimou o Fora de Casa

Sem problemas com seus componentes já que sua comunidade fica bem próxima à passarela do samba, o Fora de Casa não deu bola para a chuva. Sempre alegres e irreverentes os sambistas do Bairro de Fátima, proporcionaram um bom desfile com um tema reeditado sobre a Rua da Conceição.

Outra agremiação que atrasou foi o Bem Amado. Com contingente reduzido, os sambista da Grota do Surucucu, apresentaram o enredo 'Muito prazer eu sou o chapéu'.

O pequeno número de componentes foi observado também nas escolas Tá Rindo Porque e Grilo da Fonte, sexta e sétima agremiações da noite. Antes do desfile do Grilo ocorreu um problema com os geradores que alimentavam o sistema de som. Técnicos informaram que faltou óleo nos equipamentos. Mais uma longa espera entre uma escola e outra. Técnicos responsáveis pela iluminação também tiveram trabalho. As torres de sustentação dos refletores situadas no setor de arquibancadas próxima à antiga prefeitura, tombaram e precisaram ser reposicionadas. Por sorte, neste momento as arquibancadas já estavam totalmente vazias.

Refletor apagado devido à falha de energia.
Logo depois a torre que sustentava o equipamento tombou

A primeira escola a desfilar sem chuva foi a Garra de Ouro. Rebaixada no ano passado, a escola da Garganta do Viradouro se reestruturou, formou um time qualificado, desenvolveu um bom enredo e se credenciou ao título do grupo. O bom samba mais uma vez brilhantemente interpretado por Sid GBB, a bateria, que ditou a cadência, e o tema que homenageou Heitor dos Prazeres foram os destaques do desfile.

Logo depois se apresentou a mais antiga escola de samba de Niterói. A Combinado do Amor mais uma vez fez um desfile emocionante. "Do fogo ao amanhecer de um novo dia", lembrou a história do circo. Só o samba de esquenta, interpretado pela experiente cantora Lena Alvez já valeu. "Não adianta esse papo furado..."


Já passava das quatro da manhã quando o Unidos do Barro Vermelho entrou na avenida com um tema afro. "Axé. Um ritual de louvação".

A União do Maruí encerrou o primeiro dia de desfile.

Muita coisa precisa melhorar no carnaval de Niterói se ainda temos como objetivo voltar a ser o 2º melhor do Brasil.

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Padre Miguel surpreende e briga pelo título com a Estácio

por Sérgio Soares
________________________________________________________________________________

Como já havíamos antecipado na última análise, o segundo dia de desfiles na Série A, disputado entre a noite de ontem e a madrugada de hoje, mostrou qualidade bem superior ao de sexta-feira. E também consagrou escolas que tiveram a melhor preparação nos barracões e conseguiram
captar mais recursos para os desfiles. Como falamos na primeira análise, a Estácio de Sá e a surpreendente Unidos de Padre Miguel desfilaram praticamente sem erros, demonstrando grande comunicação com o público. E por isso, pulam na frente em busca da única vaga para o
acesso à chamada elite. 

O tradicional leão da Estácio de Sá esse ano veio com 64 micos na juba.
Vermelha e branca é forte candidata ao título

A briga promete ser ponto a ponto. Império Serrano, Caprichosos de Pilares e paraíso do Tuiuti, as melhores do primeiro dia, vem no segundo escalão, junto com Cubango e Renascer de Jacarepaguá e Inocentes de Belford Roxo. Pelos desfiles decepcionantes que mostraram, Em Cima da Hora e Unidos de Bangu, certamente darão adeus à Série A em 2016 e precisarão se reestruturar para pensar em voltar a crescer a partir do ano que vem.

A seguir, o jornalista Sérgio Soares análise cada escola que se apresentou no segundo dia de desfiles na Marquês de Sapucaí.

Alegria da Zona Sul - Sentiu a responsabilidade de abrir os desfiles, mesmo com um enredo leve, exaltando a figura do carioca, num contexto do aniversário de 450 anos do Rio, a escola teve dificuldades nos chamadas quesitos "de pista",como harmonia, evolução e conjunto. Deve ficar em posições intermediárias quando forem abertos os envelopes.

Acadêmicos de Santa Cruz - Escola que já foi da chamada elite, tenta se firmar em busca de dias melhores. E levou para o desfile um dos mais belos enredos da noite, sobre a vida e a carreira de Grande Otelo. Foram escolhidas cores fortes nas fantasias, carros e muito luxo na apresentação. Mesmo com garra e tendo o veterano Davi do Pandeiro no microfone principal, a escola não conseguiu grande empatia com o público e mostrou problemas em fantasias, alegorias e conjunto.
Inocentes de Belford Roxo - Outra justa homenagem no segundo dia de desfiles. A Inocentes, que esteve uma única vez no Grupo Especial, homenageou o compositor e artista plástico Nelson Sargento. Houve grande criatividade na exposição do tema. A segunda alegoria, por exemplo revelava a "batalha" do samba contra a ditadura. O homenageado veio na última alegoria. Desfile correto tecnicamente, mas sem a chamada "explosão" de quem quer conquistar o campeonato.

Unidos de Padre Miguel - A segunda metade do desfile começou a "esquentar" com a passagem de agremiações que através de investimento e organização, se credenciaram para disputar a o título. E A Unidos de Padre Miguel mostrou porque vem ganhando, a passos largos, espaços entre as grandes. Houve criatividade, inteligência, luxo e sobretudo, canto forte na apresentação do enredo "O cavaleiro armorial mandacariza o Carnaval". Fazer da arte o que se tem nas mãos, um dos lemas de Ariano Suassuna, foi o que a vermelha e branca levou para a avenida. As  dificuldades com a seca, a alegria do nordestino, e circo foram temas que se misturaram ao longo do desfile e arrancaram do público os primeiros gritos de campeã.

Império da Tijuca - Os imperianos foram para a avenida dispostos a mostrar que houve injustiça no retorno à Série A. A escola manteve a chamada espinha dorsal na apresentação do enredo sobre oxum, padroeira da escola. Com o intérprete Pixulé em noite inspiradíssima, a
agremiação mostrou as habituais qualidades - cores fortes, carros imponentes e a grande 'pegada" no canto. Apesar dos pequenos erros de organização, pode surpreender como uma espécie de 'azarão".

Renascer de Jacarepaguá - O outra que apostou em um grande nome do samba - Candeia - como enredo. A Portela, escola onde o compositor foi três vezes campeão do concurso de sambas-enredo, e a escola Quilombo, fundada pelo artista foram lembradas. Um dos pontos altos foi o belo samba dos 'craques' Moacyr Luz, Teresa Cristina e Claudio Russo. Desfilou com vontade, mas será difícil chegar na frente da Unidos de padre Miguel e Estácio.

Acadêmicos do Cubango - Desfilando no Rio desde 1986, a Cubango apostou mais uma vez em um enredo afro para apresentar seu desfile. E o desenvolvimento da raça negra em Niterói, que desaguou também na fundação da escola, foram mostrados. A verde e branca se mostrou impecável nos detalhes de fantasias e alegorias, tornando realidade porque foi considerada como uma das favoritas. O desfile marcou também a volta de Preto Jóia à Sapucaí. A falta de comunicação com o público talvez tenha tirado o "brilho" de campeã da escola, que no entanto, briga pelas primeiras colocações e pode surpreender.


Estácio de Sá - Desde o ano passado, a escola persegue o título que lhe credencie o retorno ao Grupo Especial. E apostando em um enredo genuinamente carioca - sobre os 450 ambos do Rio - a agremiação parece ter tirado da 'manga' a 'carta' que possibilite a realização do sonho. A vermelha e branca pensou nos mínimos detalhes o desfile, com alegorias e fantasias de altíssimo nível. O carro de som, que já tinha o veterano Dominguinhos, foi reforçado por Leandro Sapucaí. Briga mais uma vez pelo título.

NA CADÊNCIA NA SAPUCAÍ

Desfiles oficiais começam hoje em Niterói


A partir das 18h começa oficialmente o Carnaval de Niterói. Logo após a entrega das chaves da cidade ao Rei Momo, desfilam na passarela da Rua da Conceição os Blocos de Embalo e o Grupo Especial de Enredo (equivalente ao terceiro grupo de escolas).  Ao todo 14 agremiações se apresentam neste domingo, 3 blocos e 11 escolas de samba.


Parte da Avenida Amaral Peixoto foi bloqueada para concentração das escolas


Pela primeira vez, desde a revitalização do carnaval de Niterói, não houve desfile no sábado. Outra mudança para 2015 será a utilização da Avenida Amaral Peixoto para concentração.



Águia Altaneira do Combinado já está posicionada na Amaral Peixoto




A Cadência da Bateria mostra em tempo real os melhores momentos dos desfiles em nossa fan page https://www.facebook.com/cadenciadabateria. Curta e fique por dentro de tudo que vai rolar na Rua da Conceição. E amanhã, aqui no nosso blog, a análise do primeiro dia dos desfiles oficiais.



















CARNAVAL DE NITERÓI É NA CADÊNCIA DA BATERIA

Postagens mais antigas → Página inicial

Aconteceu na Avenida

Aconteceu na Avenida
O editor do blog, Luiz Eugenio, entrevistando o intérprete Willian no Carnaval 2008

Personagens da Folia

Personagens da Folia
Rodrigo Fontes, coreógrafo da Comissão de Frente da Sabiá

Musa da Cadência 2013

Musa da Cadência 2013
Danúbia Gisela, a madrinha da bateria do GRES Tá Mole mas é Meu

Momentos do Carnaval 2013

Momentos do Carnaval 2013
Jéssica. Porta-bandeira do Experimenta da Ilha

Cris Alves Rainha do Carnaval da Souza Soares

Cris Alves Rainha do Carnaval da Souza Soares

Explosão da Fola

Explosão da Fola

Folia e Souza. Campeãs 2015

Folia e Souza. Campeãs 2015